Governo do Estado do Rio Grande do Sul
Início do conteúdo

Contas em dia, família vivendo melhor

Publicação:

PORTO ALEGRE, RS, BRASIL, 07.04.2022. Fotos do Governador Ranolfo Vieira Junior. Foto: Itamar Aguiar/ Palácio Piratini
Ranolfo Vieira Júnior, governador do Estado do Rio Grande do Sul - Foto: Itamar Aguiar / Palácio Piratini
Por Ranolfo Vieira Júnior

Um pai ou uma mãe de família sabem muito bem: quando se gasta mais do que se arrecada, quando as dívidas e os juros se acumulam ou quando não há planejamento financeiro, as contas não fecham. E aí falta dinheiro até para o que é básico. É assim na vida doméstica, e também é assim na gestão pública. Por isso, é preciso fazer o dever de casa — um conceito que temos seguido no governo gaúcho.

Em 2022, pelo segundo ano consecutivo, pagamos parte do 13º salário dos servidores de forma adiantada em outubro, além de manter em dia a segunda parcela em novembro. Uma maneira, também, de valorizar os nossos colaboradores no mês em que se comemora o Dia do Servidor Público. Para alguns, talvez essa não seja uma grande façanha. No entanto, para um Estado que passou 57 meses atrasando salários, é uma conquista importante.

As vantagens desse adiantamento e da manutenção do 13º salário em dia vão além dos R$ 750 milhões que serão injetados na economia gaúcha. Uma delas é evitar as indenizações por conta do atraso do pagamento — o que subtraiu cerca de R$ 150 milhões dos cofres do Estado a cada exercício, ao longo de cinco anos. A outra é a previsibilidade a milhares de trabalhadores, uma obrigação que até há pouco tempo não era cumprida.

O caminho para chegar até aqui exigiu muito esforço, planejamento e ação. Promovemos as mais profundas reformas entre todos os demais estados. Essas medidas permitirão ao Rio Grande do Sul poupar pelo menos R$ 20 bilhões até 2030 — refletindo, por exemplo, em 2021, no primeiro superávit orçamentário após 12 anos. Essa nova realidade nos permitiu colocar os salários em dia, quitar dívidas com hospitais e prefeituras e manter os demais compromissos, além de passar a investir mais de R$ 6 bilhões em diversas áreas.

A nova realidade financeira do Rio Grande do Sul não é fruto do acaso. Foi alcançada mesmo em meio a uma pandemia e a uma das mais graves estiagens da história. Trata-se, isso sim, do resultado de um trabalho árduo de gestão, com ações concretas e muita responsabilidade fiscal. Precisamos reconhecer também o trabalho e esforço de muitas pessoas que nos ajudaram a alcançar esse resultado. Quando as contas da casa são pagas em dia e os gastos ficam dentro do orçamento, os serviços mais importantes estão garantidos — e toda a família vive com mais tranquilidade, paz e segurança financeira.

Governador do Estado

Portal do Estado do Rio Grande do Sul